.: Prefeitura De Araguaina :.
Terça-feira, 19 De Novembro De 2019 |    CLIMA: Sol e aumento de nuvens de manha. Pancadas de chuva a tarde e a noite. | Mínima: 22ºC | Máxima: 31 ºC



Cidadão Empresa Servidor Turista  

campanhas





NOTÍCIAS

Isso é Araguaína: Professora relembra histórias que marcam o avanço da cidade

Publicado: Data: 04/11/2019 Autor: Ascom

aumnetar letradiminuir letratamanho original imprimir
Plants: image 4 0f 4 thumb

Em mais uma reportagem da série que celebra os 61 anos de Araguaína, a pioneira Wadia Carvalho de Oliveira conta como foi a implantação das primeiras universidades

Por Adriana Santana | Fotos: Marcos Sandes/Ascom


“Ao chegar aqui, o único colégio que existia era o Santa Cruz e oferecia apenas o primeiro grau, hoje o Ensino Fundamental. O aluno tinha que buscar outras etapas em escolas de Carolina (MA) ou Porto Nacional, não imaginávamos que o pequeno povoado se tornaria referência em Ensino Superior do Norte do Tocantins”, contou a professora aposentada Wadia Carvalho de Oliveira. 

Terceira personagem da Série de Reportagens Isso é Araguaína, que celebra os 61 anos de Araguaína, Wadia nasceu em Marabá (PA) e mudou-se para Araguaína, com a família, em 1968. Junto com os pais e irmãos, foi contemplando o avanço geográfico da cidade e ajudou a construir os primeiros alicerces para o crescimento da educação no Município.
 
Aos seus 68 anos de vida, 51 deles em Araguaína, ela contempla também o movimento comercial, o crescimento geográfico da cidade e comparou a um coração que pulsa rumo ao crescimento. “Essa cidade é feita de pessoas engajadas, que pegam e fazem acontecer, se eu tivesse que escolher de novo, escolheria Araguaína e escolheria de novo ser professora”, concluiu a aposentada.
 
Primeira faculdade
Wadia concluiu o segundo grau (Ensino Médio) em Goiânia e fez Geografia como formação de nível superior. Voltou para Araguaína cheia de planos, foi quando em 1984, contemplou e contribuiu para a chegada da Faculdade de Educação, Ciências e Letras de Araguaína (FACILA), criada pela lei estadual nº 9.470, de 11 de julho daquele ano. Passou a existir já ofertando os cursos de Letras, História, Geografia, Estudos Sociais, e Ciências. A então Facila tornou-se, no ano 2000, a Universidade Federal do Tocantins (UFT).
 
Ainda de acordo com a professora, nessa época, Araguaína foi se tornando referência para o então norte de Goiás, futuro Norte do Tocantins. “A faculdade ia a todo vapor e de repente, uma proposta me pegou de surpresa e me fez ter a certeza de que Araguaína seria uma grande metrópole educacional, a de trazer para cá um curso de Medicina”, completou.
 
Mais cursos
“Sempre fui movida a desafios e de repente o convite de um amigo me fez sonhar ainda mais alto. O doutor Eduardo chegou em mim e disse que criaríamos a faculdade de medicina em Araguaína. Levei um susto, mas, a certeza de que essa cidade tinha potencial me moveu a abraçar essa ideia”, contou a aposentada.
 
Ela lembrou que foi em meados dos anos 90, que surgiram os primeiros cursos de Pedagogia e Ciências Contábeis. Mas logo chegaram os cursos de Medicina, Enfermagem, Farmácia/Bioquímica, Odontologia, Administração, Sistema de Informação, Educação Física e Direito.
 
“Foi gratificante ver que do nada surgiu o muito, no início, não tínhamos nem lugar e ao ver hoje cada turma que vai formando é um sinal de que foi a minha melhor escolha, viver e apostar em Araguaína”, completou emocionada.
 
Cenário atual
“É gratificante ver o nível das escolas do nosso município, contemplamos salas de aula climatizadas, salas confortáveis, nossas crianças sendo muito bem cuidadas, com profissionais preparados e sempre recebendo qualificações, isso me faz seguir acreditando em Araguaína, eu aposto nessa cidade e naquilo que ainda está por vir”, disse Wadia.

No cenário atual, Araguaína é referência em Educação para o Tocantins, tanto nas séries básicas quanto em Ensino Superior

Publicado: Data: 04/11/2019 Autor:Ascom







voltar