.: Prefeitura De Araguaina :.
Terça-feira, 27 De Junho De 2017 |    CLIMA: Sol com algumas nuvens. Nao chove. | Mínima: 16ºC | Máxima: 34 ºC



Cidadão Empresa Servidor Turista   credito educativo



campanhas





NOTÍCIAS

Entidades de Segurança Pública de Araguaína discutem revitalização da Feirinha

Publicado: Data: 19/04/2017 Autor: Ascom

aumnetar letradiminuir letratamanho original imprimir
Plants: image 4 0f 4 thumb


Prefeito Ronaldo Dimas apresentou o novo projeto para a região e discutiu soluções para mais segurança, saúde e cidadania ao local

Por: Fernanda de Alcantara

Foto: Marcos Filho 

Conhecida como “Feirinha”, a região de Araguaína que traz alguns problemas de segurança, cidadania e saúde para a cidade, foi pauta na manhã desta terça-feira, 18, na reunião da sede do Ministério Público Estadual. Com sugestões e soluções para esses problemas, o prefeito Ronaldo Dimas junto a representantes de entidades de Segurança Pública, apresentou o projeto de revitalização do local e discutiu as demandas enfrentadas na região, como irregularidades, dificuldades de vistorias e também sobre os investimentos no projeto de revitalização do local junto ao Governo Federal.
 
Participaram do encontro os promotores de Justiça, Araína Cesárea e Paulo Alexandre Rodrigues; comandante do Corpo de Bombeiros, major Ciro Cardoso Guimarães Filho; secretário municipal da Saúde, Jean Coutinho; coordenador da Vigilância Sanitária Municipal, Cláudio Barbosa Aguiar; comandante do 2º Batalhão de Policia Militar (BPM), tenente coronel João Marcio Costa Miranda.
 
Projeto de revitalização
O prefeito relembrou o convênio realizado entre o Estado e o Banco do Brasil para a revitalização da Feirinha ainda em 2012, que não foi priorizado após crise política econômica da saída do governador Siqueira Campos. “As mudanças de governo que houveram nessa época atrapalharam andamentos do projeto e foi tirado de prioridade”, lembrou Dimas.
 
Em maio de 2016, com emenda de R$ 5 milhões da senadora e então ministra Kátia Abreu, o projeto passou novamente para a lista de prioridades. “Hoje existe um projeto de revitalização que precisa apenas da licitação para sua execução, com a revisão e contratação, tudo certinho, vão cerca de seis meses e finaliza-se tudo”, informou Dimas sobre prazos do convênio.
 
Ao final da reunião, ficou decidido que o Ministério Público Estadual procurará a Caixa Econômica para saber do contrato e repasses para o projeto de revitalização da Feirinha e pedir agilidade na execução. 
 
Mudanças
O comandante João Marcio Costa, do 2º BPM, falou da importância da parceria de todas as entidades para resolução das demandas do local. “O problema da Feirinha é complexo e exige atuação conjunta de diversos órgãos do Estado para sua solução, queremos ser parceiros nisso”, confirmou.
 
O capitão Ciro Cardoso Filho, do Corpo de Bombeiros, admitiu que há estabelecimentos irregulares e mal estruturados. “Alguns locais já até pegaram fogo, é preciso desocupar urgente”, alertou. 
O coordenador da Vigilância Sanitária, Cláudio Aguiar, ressaltou que não há segurança para os agentes trabalharem no local. “Temos muita dificuldade de dialogar, até para entrar no local sem policiamento é complicado. Vai além das vigílias”, apontou.
 
Mais segurança
O promotor de Justiça Paulo Alexandre Rodrigues sugeriu que no projeto de revitalização da Feirinha seja reservada uma área de funcionamento para posto policial ou delegacia. “Iria ajudar demais na contribuição da pacificação e mudança da rotina na região ter um desses dois lá dentro do local”, indicou.
 
O prefeito Ronaldo Dimas concordou com a sugestão e afirmou que vai incluir a sugestão no projeto. Adiantou ainda que esse ponto será estendido nas próximas reuniões.
 
Tratamento de saúde
A promotora Araína Cesáreo e o secretário da Saúde, Jean Coutinho, também expuseram pontos cruciais do problema de saúde com tóxicos aos moradores daquela região. E discutiram soluções jurídicas para o problema, além de refletirem sobre a transferência da responsabilidade pelo tratamento de usuários atribuídas ao Município para a União, para que tenha mais recursos.

Publicado: Data: 19/04/2017 Autor:Ascom







voltar